quarta-feira, 20 de Agosto de 2008

Tarte de Pêssego e Canela

À procura de inspiração para a próxima receita, vasculhei a minha “lista de receitas a fazer “... Inicialmente apenas ocupava uma gaveta, mas agora está gigantesca, o que torna a tarefa de selecção difícil e incrivelmente demorada!

Perdida no meio de papelada, encontrei esta receita, que a minha avó anotou (possivelmente à anos … e de origem desconhecida …) para um dia eu fazer. Cá em casa toda a gente tem um fraquinho por canela, por isso decidi não esperar mais para a experimentar!

Pêssego e Canela... Uma combinação perfeita!

Ingredientes:

Base:
200g de farinha
2 colheres de sopa de açúcar
1 gema
1 colher de sopa de manteiga (usei manteiga magra)
Leite qb.

Recheio:
½ colher de sopa de canela
4 colheres de sopa de açúcar mascavado
2 colheres de sopa de maisena (amido de milho)
5 pêssegos frescos

Creme:
200 ml de natas
2 colheres de sopa de maisena (amido de milho)
2 ovos
3 + ½ colher de sopa de açúcar mascavado
1 colher de chá de açúcar baunilhado
1 colher de chá de canela

Preparação:
Pré-Aquecer o forno a 180º. Untar uma tarteira (com fundo amovível) com manteiga.

Base:
Amassar a farinha, o açúcar, a gema e a manteiga, ir adicionando aos poucos o leite, até obter uma massa homogénea (que não se agarre aos dedos e fácil de estender). Forrar a tarteira com a massa e pique-a com um garfo.

Recheio:
Misturar a maisena com 2 de colheres de açúcar e deitar por cima da massa. Descascar os pêssegos, cortá-los às fatias e dispor sobre a massa. Misturar as restantes 2 colheres de sopa de açúcar com a canela e polvilhar uniformemente os pêssegos. Levar ao forno durante +/- 5 minutos até os pêssegos ficarem douradinhos.

Creme:
Juntar todos os ingredientes do creme e bater durante +/- 2 minutos com a batedeira (velocidade média). Retirar a tarte do forno, verter o creme por cima dos pêssegos e levar novamente ao forno até o creme ficar sólido. (Se necessário tapar a tarte com uma folha de papel de alumínio para não queimar)

Servir fria e polvilhada com canela.


quarta-feira, 13 de Agosto de 2008

Charlotte de Frutos Silvestres

Desde que escrevi o último post, fui várias vezes apanhar amoras com a minha irmã. O que resultou, numa quantidade inimaginável de amoras silvestres. Repeti o delicioso Bolo de Frutos Silvestres e experimentei algumas receitas de bolos com amoras (sem resultados verdadeiramente encantadores… :-( ).

Depois uma longa pesquisa de receitas com amoras… Encantei-me com a receita “Summer Berry Charlotte” do blog Canelle et Vanille (Adaptei em alguns aspectos a receita).




A Charlotte reúne 2 frutos que me fazem lembrar muito o Verão, amoras e framboesas, que para além do sabor, dão à receita cores irresistíveis. Fica simplesmente linda! Só falta mesmo dizer, que como grande apreciadora de frutos silvestres, gostei imenso!

Nota:
- Da próxima vez, vou aumentar um pouco a quantidade de puré de amora e de framboesas, para obter um sabor mais intenso.



Ingredientes:
+/- 200 g de Ladyfingers (Biscoitos de Champanhe)
1 + ½ chávena de amoras silvestres

Mousse de Amora:
50 ml de puré de amora *
4 colheres de sopa de açúcar **
1/2 colher de sopa de sumo de limão
1 colher de sopa de água
4 folhas de gelatina incolor
150 ml de natas

Mousse de Framboesa:
100 ml de puré de framboesa *
7 colheres de sopa de açúcar **
1 colher de sopa de sumo de limão
2 colher de sopa de água
7 folhas de gelatina incolor
250 ml de natas

Preparação:
Colocar um aro metálico de semifrio sobre o prato de servir (convém que seja completamente raso). Cortar os biscoitos (apenas de um dos lados..) de modo a que fiquem com a mesma altura que o aro, forrar as paredes e posteriormente o fundo com eles.

(Posteriormente, repeti a receita e humedeci os palitos colocados no fundo com um pouco de leite aromatizado com açucar baunilhado, para não ficarem tão rijos... Pode também humedecer os palitos da parte lateral)

Mousse de amora:
Colocar de molho as folhas de gelatina em água fria. Num tacho, juntar o puré de amora, o sumo de limão, a água e o açúcar. Levar a ferver, até que o açúcar dissolva. Retirar do lume, juntar as folhas de gelatina (previamente escorridas), mexer bem até a gelatina ficar completamente dissolvida. Deixar arrefecer.

Bater as natas bem firmes. Adicionar as natas ao preparado das amoras e envolver suavemente até obter um preparado uniforme. Deitar o preparado no aro do semifrio e levar ao frigorífico até solidificar. (Se não conseguiu bater as natas bem firmes, antes de as deitar no aro do semifrio, leve o preparado das natas ao frigorifico a prender um pouco...)

Colocar metade das amoras por cima da mousse.

Mousse de framboesas:
Colocar de molho as folhas de gelatina em água fria. Num tacho, juntar o puré de framboesa, o sumo de limão, a água e o açúcar. Levar a ferver, até que o açúcar dissolva. Retirar do lume, juntar as folhas de gelatina (previamente escorridas), mexer bem até a gelatina ficar completamente dissolvida. Deixar arrefecer.

Bater as natas bem firmes. Adicionar as natas ao preparado das framboesas e envolver suavemente até obter um preparado uniforme. Deitar o preparado no aro do semifrio e levar ao frigorífico a solidificar.

Na altura de servir, retirar o aro e decorar com as amoras restantes.



* Para fazer o puré triturei os frutos e depois passei o puré por um passador de rede fina (para descartar todas as sementinhas e partes sólidas). Na preparação da mousse de framboesa utilizei framboesas congeladas, no entanto ambas as mousses podem ser preparadas com frutos congelados, é só deixar descongelar totalmente e depois triturar.

** Estas quantidades de açúcar podem variar com a acidez dos frutos utilizados.