segunda-feira, 28 de Julho de 2008

Bolo de Amoras Silvestres

Estou de férias em casa dos meus pais, tenho aproveito para descansar e passar tempo com a minha família. É bom estar em casa a recarregar as “baterias." Tenho cozinhado bastante, mas nem sempre a máquina fotográfica chega a tempo para registar o momento...




As amoras silvestres são o fruto das silvas. Um arbusto cheio de picos, que cresce nos terrenos baldios e que por vezes se transforma numa verdadeira praga. No Verão as silvas enchem-se destes frutos apetitosos. As amoras têm um sabor doce e um cheirinho muito característico, que eu adoro!




Pois bem, estava deserta que chegasse o “tempo das amoras”. Todos os anos, por esta altura, eu e a minha maninha, apanhamos amoras. Ela segura a taça e eu aventuro a mão por entre os picos. É uma actividade divertida, que já é tradição na nossa familia :-)

Costumo separar uma parte das amoras, para congelar e utilizar durante o Inverno, em sobremesas que trazem saudades do Verão. (As amoras ao descongelar vão ficar um pouco desfeitas, por isso convém utilizar em receitas que as usem trituradas)



Quanto ao Bolo de Amoras Silvestres, mantive o nome original, mas acho que é mais um semifrio do que um bolo. É uma sobremesa bastante vistosa, que encanta pela sua originalidade. Ficou totalmente aprovada, até podia entrar para as "10 +!". Receita inspirada na revista TeleCulinária “Sobremesas Frescas”.



Ingredientes:

Base:

1 ovo
1 colher de sopa de água quente
60 g de açúcar
1 colher de sopa de açúcar baunilhado
30g de farinha
25g de farinha maisena
½ colher de chá de fermento

Creme:
2dl de natas
1/2 lata de leite condensado light (+/- 200g)
6 folhas de gelatina incolor
¾ de chávena de chá amoras silvestres

Cobertura:
1 embalagem de gelatina de frutos silvestres
Amoras qb.

Preparação:

Base:
Pré-aquecer o forno a 180º. Untar uma forma redonda de alumínio (22 cm) com manteiga e polvilhar com farinha.

Bater o ovo com a colher de sopa de água quente, usando a batedeira eléctrica na velocidade máxima durante 1 minuto, até a mistura ficar espessa e com espuma. Adicionar o açúcar e o açúcar baunilhado, bater continuamente durante 2 minutos.

Juntar a farinha, a maisena e o fermento em pó, usando a batedeira na velocidade mais baixa até obter uma massa fofa. Transferir a massa para a forma e levar ao forno até estar cozido (teste do palito).

Retirar do forno, com a ajuda de uma faca soltar lateralmente o bolo da forma e posteriormente desenformar.

Creme:
Colocar de molho as folhas de gelatina em água fria. Bater as natas bem firmes (costumo colocar as natas 15 minutos no congelador antes de as bater). Juntar o leite condensado ás natas e misturar bem.

Escorrer a gelatina e dissolve-la em 2 colheres de sopa de água quente. Juntar ao preparado das natas, a gelatina e as amoras. Misturar bem e levar ao frigorífico a prender um pouco (não deixar solidificar totalmente).

No prato de servir (convém ser totalmente raso), colocar um aro de semifrio (sem o fundo), colocar o bolo e espalhar o creme por cima. Levar ao frigorífico até solidificar totalmente.

Cobertura:
Fazer a gelatina conforme as instruções da embalagem. Deixar arrefecer completamente e levar ao frigorífico até prender um pouco (não deixar solidificar totalmente). Deitar a gelatina por cima do creme e dispor as amoras por toda a superfície.
Levar novamente ao frigorífico até solidificar completamente.


domingo, 27 de Julho de 2008

As 10 Mais !

A Janeca do delicioso Blog Ponto de Pérola e a Amélia do blog Doces Temperos, convidaram-me para o desafio das “Das 10 mais” .

Regras:
1 – Publicar 10 fotos das nossas receitas preferidas.
2- Colocar o nome e link do blog da pessoa que me indicou.
3- Passar 5 amigas(os) e deixar comentário no cantinho de cada.

Nunca tinha contabilizado o número de receitas que fiz aqui no Baunilha e Caramelo, mas já publiquei 51 receitas, das quais 38 são doces e 13 salgadas. Como devem imaginar, escolher apenas 10 … é sempre complicado, por isso decidi escolher 10 doces (para facilitar um pouco a tarefa ...).

Não é novidade que adoro morangos e chocolate e as minhas “10 Mais “ reflectem bem isso: 5 receitas que levam morangos, 3 receitas que levam chocolate :-P .

As minhas escolhas são:


Na 1ª fila – Bolo Cor de Rosa / Bananas Salteadas / Pão de Ló de Morango

Na 2ª fila – Bolinhos de Limão com Molho de Maracujá / Trifle de Morango / Bolo Chifon de Chocolate / Mousse de Morangos e Chocolate Branco

Na 3ª fila – Semifrio de Whisky / Tarte de Morango / Pudim Veludo de Chocolate

Achei divertido olhar a minha actividade aqui no blog, por isso vou nomear estes 5 Blogs para continuar a brincadeira:
A Kiduxa na Cozinha
A culinária da Missy
Amores e Sabores
As receitas Lá de Casa
Ovo Estrelado

sábado, 19 de Julho de 2008

Pão-de-Ló de Morango

O livro “A Enciclopédia de Pastelaria ” foi me dado pelo Rui sensivelmente à um ano, que depois de uma receita com resultados desanimadores, foi ficando esquecido na prateleira dos livros de culinária.

É um excelente livro, cheio de fotografias incrivelmente tentadoras de bolos que parecem ter saído de uma montra de pastelaria. No entanto, sempre me senti desencorajada a faze-los devido à sua aparência de “infinitas horas na cozinha e toneladas de loiça para lavar”. Acabei por encontrar esta receita, que não parecia excessivamente complicada e que tinha um aspecto irresistível.

Achei o resultado final muito encantador, sem dúvida que vou repetir esta receita muitas vezes. O bolo fica leve e o recheio de morango muito suave, combinam na perfeição. Deixo que as fotografias digam o resto!




Alterei um pouco a receita, como não tinha licor de morango, não reguei o bolo. Da próxima vez, vou regar o bolo com outra bebida alcoólica e possivelmente dobrar a receita do recheio para tornar a camada de morango maior!

Ingredientes:

Bolo :
2 ovos
2 colheres de sopa de água
120 g de açúcar
1 pitadinha de essência de baunilha
50 g de farinha
50 g de maisena (amido de milho)
1 colher de chá de fermento em pó

Recheio :
6 colheres de sopa de licor de morango
350 g de morangos maduros
3 colheres de sopa de água
6 folhas de gelatina incolor
5 colheres de sopa de açúcar de confeiteiro (icing sugar)
2 colheres de sopa de sumo limão
200 ml de natas

Preparação:

Para o Bolo :

Pré-aquecer o forno a 180. Untar uma forma redonda de alumínio com manteiga e polvilhar com farinha. (a receita original sugere forrar a forma com papel vegetal untado, eu não forrei e não tive problemas depois ao desenformar)

Bater os ovos com 2 colheres de sopa de água quente, usando a batedeira eléctrica na velocidade máxima durante 1 minuto, até a mistura ficar espessa e com espuma. Adicionar o açúcar e a baunilha, bater continuamente durante 2 minutos.

Juntar a farinha, a maisena e o fermento em pó, usando a batedeira na velocidade mais baixa até obter uma massa fofa. Transferir a massa para a forma e levar ao forno até estar cozido (teste do palito).

Retirar do forno, com a ajuda de uma faca soltar lateralmente o bolo da forma e posteriormente desenformar. Deixar arrefecer o bolo sobre uma rede, cortar o bolo em 2 camadas e regar com o licor de morango.

Para o recheio:
Lavar muito bem e arranjar os morangos. Reduzi-los a puré e misturar o sumo de limão. Passar o puré por um passador de rede fina, para descartar todas as sementinhas e as partes sólidas restantes. Juntar o açúcar ao puré e misturar bem.

Colocar as folhas de gelatina de molho em água fria durante uns minutos. Aquecer as 3 colheres de sopa de água e dissolver a gelatina escorrida. Juntar a gelatina ainda morna ao puré de morango. Deixar arrefecer.

Quando o puré começar a solidificar, bater as natas firmes e adicionar à mistura. Levar ao frigorífico até começar a prender mas sem deixar solidificar totalmente.

No prato de servir (convém ser totalmente raso), colocar um aro de semifrio (sem o fundo), colocar uma camada de bolo e espalhar metade do creme por cima. Colocar a outra camada de bolo e espalhar o restante creme.

Levar ao frigorífico a solidificar. Na altura se servir, retirar o aro e decorar com morangos.




quarta-feira, 16 de Julho de 2008

Quiche Diferente

Continuando com a “onda” das receitas leves de Verão, fica aqui a receita de um quiche um pouco diferente dos tradicionais. Acompanhado com uma boa salada torna-se perfeito para uma refeição ligeira.

Aconselho a duplicar a receita e a usar um tabuleiro rectangular, pois este quiche “desaparece” num instante. Inspirado na receita "Quiche Diferente de Frios" da revista “Delícias de Culinária”.


Ingredientes (2 pessoas)
Massa:

150g de farinha
1 dl de leite
2 colheres de sopa de queijo emmental ralado
3 fatias de queijo flamengo
1 colher de chá de fermento
1 ovo
Sal qb

Recheio :
3 fatias de fiambre
3 fatias de queijo flamengo
1 tomate maduro cortado em rodelas fininhas
Cogumelos frescos laminados
Oregãos

Preparação:
Pré-aquecer o forno a 180º. Untar com manteiga, uma forma de 24 cm por 12 cm (forma de bolo inglês) e polvilhar com farinha.

Juntar todos os ingredientes da massa no liquidificador, até obter uma massa homogénea (se necessário juntar mais um pouco de leite).

Colocar metade da massa na forma, dispor por cima no fiambre, os cogumelos, o queijo e o tomate. Polvilhar com oregãos, tapar com a restante massa e polvilhar novamente com oregãos.

Levar ao forno até estar cozinhado (teste do palito). Retirar do forno, deixar arrefecer um pouco e desenformar. Cortar em fatias e servir.



terça-feira, 1 de Julho de 2008

Refresco de Ananás com Especiarias

Olhando para as receitas que tenho colocado aqui no Baunilha e Caramelo, verifico que maioritariamente são de sobremesas :-) … Mas não é só isso que se come cá em casa! Com a chegada do calor, vou aproveitar para fazer a receitas leves, simples e claro fresquinhas! Que melhor para começar do que um refresco !?

Adorei a receita, pela originalidade de usar as cascas do ananás, que geralmente deitamos fora. A combinação do ananás com canela adiciona um toque exótico. Ideal para acompanhar uma refeição, muito fresquinho.

Receita Original pode ser encontrada aqui.

Ingredientes:
Casca e a parte central de 1 ananás grande
230 a 340 g açúcar mascavado
2,2 l de água
2 paus de canela
1 estrela de anis (não coloquei)

Preparação:
Lavar muito bem as cascas do ananás.

Misturar todos ingredientes num tacho. Levar o tacho ao lume (brando) e deixar ferver tapado, aproximadamente durante 1 hora. Mexer de vez em quando e rectificar o açúcar se necessário.

Deixar arrefecer, para permitir que o sabor das especiarias e do ananás fique mais intenso.

Coar e servir bem fresco.